A sedução dos vampiros

Cenas de impacto na tela do cinema, emoção na plateia. Os jovens assistem eletrizados ao filme Lua nova, segunda adaptação da série Crepúsculo (Twilight), da escritora Stephenie Meyer, que já lançou quatro livros sobre os Cullen, uma família de vampiros, e sua estranha relação com os moradores da pequena cidade de Forks. Os gritos e lágrimas das meninas, entretanto, não são de horror diante dos ataques e ameaças aos mortais. São de paixão! Elas ficam alucinadas com a aparição do vampiro Edward e suspiram ao ver seu amor incondicional por Isabella, que está determinada a transpor as barreiras humanas para viver eternamente com ele.
Afinal, o que provoca tanto fascínio nas garotas, a ponto de transformá-las em leitoras vorazes não só desta como de várias outras sagas sobre vampiros, lobisomens, fantasmas? “O Edward é maravilhoso! Ele é tímido, super-romântico, mas também é muito ágil e protege a Bella dos perigos”, declara Carla Gil Ribeiro, 15, que agradece à Stephenie Meyer o fato de ter estimulado seu interesse pela leitura. “Eu comecei a ler a série e me apaixonei, não conseguia mais parar. Li todos: CrepúsculoLua novaEclipse e Amanhecer. Quando acabou quase chorei, queria mais. A gente se identifica com a Bella porque ela vive um amor que supera tudo, até os vilões. É bonito isso.”

Segundo ela, a febre é contagiante, todas as suas amigas ficaram viciadas. “A gente não se importa muito com esse negócio de sede por sangue, de querer morder as pessoas, apesar de ser até meio sensual; o que conta mesmo é a gentileza, a simpatia, as frases lindas que ele diz. Ele é educado, fala direito com o pai dela, abre a porta para ela, enfim, aquelas coisas simples que encantam toda mulher e que os garotos não entendem. Não percebem que esse é o melhor jeito de conquistar”. Depois de Crepúsculo, Carla diz que partiu para outras coleções desse gênero: Diários do vampiro, de L.J. Smith;Vampire Kisses, de Ellen SchreiberVampire Academy, de Richelle MeadA mediadora, de Meg CabotAlma e sangue, de Nazarethe FonsecaThe House of Night, de P.C. Cast e Kristin Cast. “O legal das séries é que cada volume traz uma nova história com os mesmos personagens, acrescentando conteúdos à trama”.

Mariana Safadi, 12, outra leitora voraz de séries, confirma que Crepúsculo é o assunto do momento entre os adolescentes. “Todas as meninas – e metade dos meninos – leram os livros, e todos assistiram aos filmes. O melhor é ler os livros, que têm mais histórias e detalhes. Essa série é ótima, porque tem muitas tramas entrelaçadas. Tem romance, mistério, terror, tem tudo! O Edward e a Bella são apaixonados um pelo outro, ela vive se metendo em enrascadas e ele sempre a salva, é o vampiro anjo da guarda dela.”

Esse magnetismo dos jovens pela literatura fantástica ganhou força no Brasil em meados de 2008, logo após o lançamento do primeiro livro da sérieCrepúsculo em português. Foi uma paixão coletiva tão grande que gerou até a fundação oficial do fã-clube Twilight Universe. Além de portal, blog de notícias, comunidade no orkut e twitter, que têm hoje cerca de 2.000 acessos diários e seguidores, são promovidos eventos interativos com personagens caracterizados, para trazer um pouco da magia dos livros para a realidade. “No lançamento de Lua nova, por exemplo, reunimos mais de 350 fãs com a temática ‘Os Cullen convidam’ e, na estreia do filme, fechamos uma sala de cinema para os fãs poderem se expressar à vontade. Foi uma gritaria geral”, conta Natasha dos Reis, uma das diretoras do Twilight Universe.

“A narrativa em primeira pessoa sob o ponto de vista da Bella é tão intensa e bem construída que nos faz ter as mesmas expectativas, frustrações e medos da personagem”, comenta Natasha. “O amor de Edward e os laços afetivos com a irmã dele, Alice, a melhor amiga que alguém poderia ter, a presença dos lobisomens e os confrontos gerados pela antiga rivalidade com os vampiros, são componentes que tornam a história irresistível. Stephenie Meyer consegue mesclar fantasia, conflitos, ação, romance, humor e emoção nas doses certas, a fórmula perfeita para a criação de best-sellers.”

 

Matéria da Revista Platero

http://www.revistaplatero.com.br/n4/espaco_jovem.htm

Produzida pela ML Jornalismo para a Livraria Martins Fontes

Deixe um comentário

Arquivado em Revista Platero

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s